Evite a quebra de sigilo

Segurança da informação não é válida apenas para as grandes companhias: O pequeno varejo também precisa se proteger

Por Lucie Ferreira

Em maio deste ano, a Ironport, divisão de segurança da Cisco Systems, revelou que empresas brasileiras e seus clientes têm sido, cada vez mais, alvo de ataques na Internet. Entre os dias 23 de abril e 6 de maio, foram identificados sete tipos de vírus e malwares que tinham como alvo companhias brasileiras. Esse aumento de ameaças é um reflexo da falta de investimentos, por parte das empresas nacionais, em tecnologia.

Estudo do X-force apontou que em 2008 houve um aumento de 13,5% de vulnerabilidades e ameaças de ataques iminentes em relação ao ano anterior.  O relatório é resultado do trabalho da equipe de pesquisadores da área de segurança da IBM em todo o mundo. “Independentemente do porte da empresa, é preciso se preocupar com a segurança da informação, a fim de evitar fraudes e outros problemas. uma estratégia de segurança integrada gera aumento da confiabilidade, integridade dos dados e redução de custos para a empresa”, explica o gerente da IBM Internet Security Systems (ISS) no Brasil, João Gaspar.

Segundo Gaspar, a maioria das médias empresas acredita que um firewall e um antivírus resolvem o problema da falta de segurança. “Há uma crença de que os riscos não são tão grandes e de que médias empresas nunca seriam atacadas porque não teriam nada de interessante a grupos de hackers“, conta o gerente. “Todo e qualquer computador pode ser um alvo, e são escolhidos aqueles que estão desprotegidos”, complementa.

Muitas vezes, a empresa busca soluções improvisadas e ineficientes, não levando em consideração que os ataques que se propagam ocorrem, principalmente, via e-mail, rede e web, até mesmo um pen drive contendo informações vitais oferece grande risco. De modo que equipamentos vulneráveis, empresariais ou domésticos, são invadidos.

O gerente de distribuição da CIS, Paulino Moreira, cita os riscos que uma farmácia localizada em uma pequena cidade de interior pode correr caso não tome a devida precaução quanto à exposição de dados confidenciais. “Se alguém conseguir a informação do banco de dados deste estabelecimento e montar um concorrente próximo, pode ser decretada a sua falência. Há muitos casos de ex-funcionários que se tornaram concorrentes da empresa em que trabalhavam e tiveram êxito”, revela Paulino.

Para garantir que informações sigilosas fiquem protegidas, a pequena empresa deve se certificar de que a arquitetura de tecnologia da informação (TI) implantada consegue atender às suas necessidades. Em seguida, é necessário desenvolver um plano de segurança que defina a ordem de importância para resolução de problemas críticos e garantir um balanço adequado entre foco em segurança e investimento.

A manutenção permanente do sistema garantirá ao estabelecimento segurança contra fraudes e ataques. A IBM estima que os investimentos em soluções de segurança que contemplem equipamentos com multifunções (VPN/firewall/IPs) destinados a pequenas empresas girem em torno de r$ 4 mil. Já para os custos mensais, há opções de valores inferiores a R$ 1 mil.

*Reportagem publicada no Guia da Farmácia (junho/2009)

Anúncios
Esse post foi publicado em Tecnologia, Veículo: Guia da Farmácia. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s