Tradição serrana

No aconchego da serra Gaúcha, uma viagem desde as paisagens exóticas dos cânions até o charme de cidades colonizadas por alemães e italianos

Por Lucie Ferreira

O inverno é a estação que atrai mais turistas para a acolhedora e aconchegante Serra Gaúcha, no sul do País. O clima frio e as paisagens bucólicas de um lugar permeado por vales e montanhas não são os únicos atrativos da região, localizada no nordeste do Rio Grande do Sul. Gastronomia, história e cultura também fazem parte do roteiro de quem deseja conhecer as cidades e aproveitar ao máximo a viagem.

Localizado em Cambará do Sul, o Parque Nacional de Aparados da Serra oferece paisagens exuberantes, como aquelas que são formadas pelo cânion Itaimbezinho, que tem paredões de até 720 metros de profundidade. A circulação de turistas pelo parque é limitada, e por isso recomenda-se contratar um guia para caminhar pelos 12 mil hectares do local. Outro dos 18 cânions da região e que merece destaque é o de Fortaleza, monumento natural de 900 metros de profundidade do Parque Nacional da Serra Geral.

A cerca de 50 quilômetros de Cambará do Sul está a pequena cidade de São José dos Ausentes, próxima da divisa com o Estado de Santa Catarina. Suas belezas naturais serviram de cenário para a minissérie Casa das Sete Mulheres e para a novela O Profeta, ambas da Rede Globo. No município, que tem pouco mais de 3.000 habitantes, fica o ponto mais alto do Rio Grande do Sul, o pico do Monte Negro. Com 1.403 metros de altura, a caminhada de 20 minutos até o pico requer a ajuda de um guia local e muita disposição, uma vez que não há trilha marcada. Caso não haja nuvens no céu, é possível apreciar do alto o litoral que divide os Estados.

Roteiro tradicional

Gramado, a cidade mais conhecida e badalada da Serra Gaúcha, é chamada de capital brasileira do cinema, por causa do famoso Festival de Gramado, que acontece anualmente no mês de agosto. Por contar com a maior infraestrutura turística do Estado, atende simultaneamente 15.000 visitantes. Adultos e crianças irão se maravilhar com o Mini Mundo, uma cidade imaginária em miniatura com castelos, ferrovias, cascatas e casas típicas, e com o Mundo Encantado, que traz pequenas réplicas em movimento sobre a colonização da região. Igrejas, centros municipais de cultura, praças, parques, lagos e museus completam o roteiro. Após os passeios, o turista terá opções à vontade para repor as energias: são centenas de restaurantes, cafés e chocolaterias.

Em Canela, próxima de Gramado, a natureza privilegiada incentiva a prática do ecoturismo, com atividades indicadas para os mais diversos gostos, idades e experiências. O ar puro e as paisagens serranas das trilhas são convidativos para caminhadas, pedaladas, cavalgadas, e, até mesmo, passeios de jipe. Os mais radicais podem praticar rafting nas águas do Rio Paranhana e rapel nas cachoeiras, ou manter as roupas secas e curtir um voo panorâmico livre e uma tirolesa. Aliás, o município oferece inúmeros parques naturais, inclusive o único de trenós do Brasil, o Alpen Park.

Entre jardins e videiras

Maior cidade da Serra, Caxias do Sul dispõe de vários roteiros para o turista, a maioria deles relacionada com a tradição dos imigrantes italianos, com vinhos, gastronomia e religião. Além de passeio cultural, o município também oferece uma opção para os aventureiros que preferem desbravar os caminhos dos tropeiros, com trilhas, cavalgadas, visitas a fazendas e cascatas, e degustação da culinária típica do interior gaúcho. A localização de Caxias do Sul é ideal para o viajante que prefere aproveitar para conhecer pequenos municípios vizinhos, como Nova Petrópolis, apelidada de Jardim da Serra Gaúcha. Colonizada por imigrantes alemães, que lá chegaram ainda no século XIX, a natureza predomina em seus jardins floridos e praças arborizadas. Algumas atrações imperdíveis são conhecidas por belos nomes, como o Labirinto Verde, O Jardim da Percepção, e o Ninho das Águias, este último oferecendo uma privilegiada visão panorâmica de 270 graus da região e do Vale do Caí. E o Panelão, formação rochosa com queda d’água de 5 metros que forma um lago com saída subterrânea.

Outra atração turística tradicional da região é o passeio de Maria Fumaça. Com duração aproximada de duas horas, o turista percorre 23 quilômetros de trem, passando por Bento Gonçalves, Garibaldi e Carlos Barbosa, conhecidas como cidades da rota do vinho. A cada parada, são realizadas atividades diferentes para entreter e informar os visitantes. Para quem quiser estender a viagem e conhecer melhor o Vale dos Vinhedos, há um roteiro para explorar os principais municípios produtores de vinho e de espumante do Brasil. Bento Gonçalves é a sede de vinícolas importantes, como Salton e Casas Valduga. O museu do Imigrante exibe um variado acervo de objetos de colonizadores italianos e é visita obrigatória na capital brasileira da uva e do vinho. Por sua vez, em Garibaldi, além de passear sob as parreiras, uma boa maneira de exercitar o corpo e a mente é fazer uma instrutiva caminhada que passa por pontos históricos como a Igreja dos Capuchinhos e a mansão Mazzini.

Anote na Agenda
Secretaria de Turismo do Rio Grande do Sul www.turismo.rs.gov.br

*Reportagem publicada na revista Dec News (julho/2009)

Anúncios
Esse post foi publicado em Turismo, Veículo: Dec News. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s