Elegância inglesa

Fruto da paixão de Lionel Nathan de Rothschild por plantas, o espaço é atração para todas as idades

Texto Lucie Ferreira

Em Hampshire, no sul da Inglaterra, os Jardins de Exbury são um lugar convidativo para contemplar o paisagismo e passear com a família. A história da exuberante área verde teve início quando o banqueiro e político Lionel Nathan de Rothschild adquiriu a propriedade de 2 mil acres em 1919 e decidiu criar um imenso jardim, que começou a ganhar forma em 1922.

O resultado da dedicação de Rothschild perdura quase um século e os visitantes podem comprovar que se trata de um dos espaços silvestres mais sofisticados do país. O idealizador era conhecido como um entusiasmado colecionador de plantas, especialmente rododendros (Rhododendron sp) e azaleias (Rhododendron simsii), além de ter hibridizado variadas espécies presentes em Exbury, que foi oficialmente aberto para visitação pública a partir de 1955, 13 anos após sua morte.

Um de seus esforços ao criá-lo foi implementar uma ferrovia particular para transportar pedras e construir o maior jardim rochoso da Inglaterra e um dos maiores da Europa. Embora esse espaço tenha sido inutilizado durante a Segunda Guerra Mundial, começou a ser restaurado na década de 1980 e, atualmente, está sendo cuidado para retomar o mesmo esplendor dos anos 1930. E para fazer jus a outra paixão de Rothschild, os trens a vapor, uma pequena locomotiva leva passageiros interessados em passear pelo local sentados confortavelmente  – a rainha Elizabeth II é um deles.

Coleções

Auge da primavera no Reino Unido, maio é o melhor período para visitar Exbury. São mais de 10 mil espécies em plena floração. Rododendros e azaleias ganham destaque, pois eram as favoritas de Rothschild. Por causa de sua conhecida admiração pelas primeiras, chegou a receber sementes coletadas durante expedições. Estima-se que cerca de 1200 híbridos dessas plantas tenham sido cridas por ele entre 1920 e 1942. Aliás, foram os rododendros que inspiraram a compra de Exbury: ao notar que a localização e as características eram ideais para cultivar a espécie, o entusiasta investiu na propriedade.

Sejam perenes ou decíduas, as azaleias também fascinavam Rothschild, tanto que ele se empenhou para aprimorá-las, cultivando, comprando coleções e criando híbridos. As delicadas camélias (Camellia japonica) ganharam até um caminho só para elas. Magnólias (Magnoliaceae) asiáticas, do Himalia, Japão e Coreia, desabrocham na primavera. No Verão é a vez das chinesas e das variedades do sul dos Estados Unidos mostrarem o perfume e a beleza. Hortênsias (Hydrangea macrophylla) e nerines (Nerine bowdenii) enchem os jardins com suas cores e peculiaridades encantadoras.

 Plantas nativas do Reino Unido também têm espaço, com carvalhos (Quercus robur) e pinheiros (Pinus sp). Orquídeas das espécies Orchis morio e Dactylorhiza fuchsia, prímulas (Primula vulgaris) e bluebells (Hyacinthoides non-scripta) dão ar de jardim inglês a Exbury, com seus tons e aromas.

O verde das árvores preenche grande área do jardim, muitas delas presentes antes da aquisição de Exbury por Rothschild, como um cipreste (Cupressaceae) proveniente de uma semente que caiu durante o funeral do Duque de Wellington, em 1852. Atualmente, a coleção conta com espécies de todo o mundo, como coníferas norte-americanas, ácer-japonês (acer palmatum) e magnólias e carvalhos americanos.

Quem estiver a passeio no outono, poderá se surpreender com cogumelos exóticos. Em outubro, o visitante tem a oportunidade de conferir o vibrante agrário-das-moscas (Amanata muscaria) e o Coprinus picaceus, além do raro Astraeus hygrometricus, semelhante a uma flor.

Estrutura turística

Os Jardins de Exbury são beneficiados com caridade. Exposições de arte e de esculturas são frequentemente realizados no espaço, que em 2002 ganhou o prêmio de maior atração turística do sul da Inglaterra. Os amplos jardins são totalmente acessíveis, porém não é permitido visitar a antiga residência de Lionel de Rothschild.

O local oferece facilidades para famílias com crianças, com atrações especialmente desenvolvidas para os pequenos. Eventos corporativos e casamentos podem ser agendados para quem busca uma festa inesquecível em meio ao verde.

A vida selvagem encontra o lugar ideal para ser apreciada pelos visitantes. São diversas espécies de aves, texugos, veados, raposas, doninhas, visons, toupeiras, esquilos, musaranhos, sapos, entre outros.

*Reportagem publicada na revista Paisagismo & Jardinagem nº 121 (2013)

Anúncios
Esse post foi publicado em Turismo, Veículo: Paisagismo & Jardinagem. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s